sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Cirurgia de redução de estômago e obesidade

Redução de estômago

A cirurgia de redução de estomago é indicada para os obesos mórmidos a pessoa passa a comer menos porque o estômago não admite maior volume de alimento.

Mas uma cirurgia não quer dizer que seja o fim dos problemas de obesidade já que alguns pacientes substitui uma compulsão por outra por isso deve haver um acompanhamento pós-cirúrgico para que a pessoa não volte a engordar

Pacientes submetidos à cirurgia de redução do estômago alguns anos apresentam um considerável ganho de peso ou até mesmos outros distúrbios como alcoolismo, anorexia, bulimia, bruxismo, aumento excessivo de cáries e dentes quebradiços.

As opções disponíveis de cirurgia de redução de estômago (tecnicamente conhecida como cirurgia bariátrica):

Gastroplastia vertical com bandagem (VBG)
Grampos cirúrgicos são usados para dividir o estômago em duas partes. A parte de cima é menor, o que limita o espaço para alimentos. A comida sai da parte superior para a de baixo através de uma pequena abertura. Uma bandagem é colocada em volta dessa abertura de modo que ela não se alargue. Os riscos da gastroplastia vertical com bandagem incluem o desgaste da bandagem e avaria na linha de grampos. Em pequeno número de casos, sucos estomacais podem vazar para o abdome ou pode acontecer infecções ou morte decorrente das complicações.

Banda gástrica ajustável por laparoscopia (Lap-Band)
Uma banda gástrica inflável é colocada ao redor do estômago superior para criar uma bolsa menor e estreitar a passagem para o resto do estômago. Isso limita o consumo de comida e cria sensação precoce de saciedade. Quando a banda é colocada no local ela é inflada com salina. A banda é ajustável ao aumentar ou diminuir a quantidade de solução salina para mudar o tamanho da passagem. Complicações podem incluir náusea e vômito, queimação no estômago, dor abdominal e deslizamento da banda.

Derivação gástrica com Y de Roux (RGB)
O cirurgião faz a redução do estômago usando grampos cirúrgicos para criar uma bolsa estomacal menor. A bolsa estomacal é fixada ao intestino. O alimento desvia pela parte superior do intestino e estômago e vai para a parte do meio do intestino delgado através de uma pequena abertura. O desvio no estômago limita a quantidade de alimentos que a pessoa pode comer. Ao desviar de parte do intestino, a quantidade absorvida de calorias e nutrientes é diminuída. A pequena abertura diminui a taxa na qual a comida deixa a bolsa estomacal. Um risco para o paciente é quando o conteúdo do estômago vai muito rápido para o intestino. Sintomas podem incluir náusea, fraqueza, transpiração e diarréia depois de comer. Efeitos colaterais incluem infecção, vazamento, embolismo pulmonar, cálculo biliar e deficiência de nutrientes.

Derivação biliopancreatica (BPD)
Uma grande parte do estômago é removida. A quantidade de alimentos é restringida, assim como a produção de ácidos estomacais. A bolsa estomacal que permanece é conectada diretamente ao segmento final do intestino delgado, desviando completamente das outras partes.

Vale lembrar que a cirurgia de redução de estomago é como uma dieta para que você tenha um sucesso tem que se exercitar, reduzir doces fazer uma reeducação alimentar dar continuidade ao tratamento.
Designer: ♥♥neusa http://neusatemplates.blogspot.com.br//